#

← scroll down

Compras online voltaram a crescer na UE no último ano. Portugal “acompanhou” mas menos

Notícia publicada no Sapo TEK a 21 de Abril de 2020.

São cada vez mais os cidadãos dos Estados-membros que fazem compras através da internet e as empresas que se rendem ao digital. Assim mostram os dados do Eurostat relativos a 2019. Os valores podem crescer ainda mais com a atual pandemia.

A par do uso da internet e da melhoria das condições de segurança, as compras online continuam a aumentar na União Europeia (UE). Os dados mais recentes do Eurostat indicam que 60% dos internautas na UE com idades entre 16 e 74 anos fizeram compras através da internet ao longo de 2019, num valor que compara com os 56% registados no ano anterior.

Dinamarca, Suécia e Países Baixos ocupam, por esta ordem os lugares do pódio, com, respetivamente, 84%, 82% e 81%, bem acima da média.

Pelo contrário, os números em Portugal continuam muito aquém da média comunitária. Embora mantenham uma evolução positiva, colocam o país na cauda da UE. O relatório mostra que o valor para os últimos 12 meses completos se situou em apenas 39%, taco a taco com a Grécia e o Chipre, e somente acima de Itália (38%), Roménia (23%) e Bulgária (22%).

Percentagem de empresas que vende através da internet

Percentagem de individuos que fez compras online nos últimos 12 meses

Relativamente às empresas, os números mais recentes do Eurostat não registam muitas diferenças face aos últimos dois anos. Apontando dados de 2019, mostra-se que 17% das empresas da UE registaram vendas online de pelo menos 1% da sua faturação. Aqui Portugal fica próximo, com um valor de 16%, mas pior do que no ano anterior, quando eram 19% as empresas que faziam negócio através da internet.

Com 36% das empresas a venderem online, comparativamente a 31% em 2018, a Irlanda registou a maior subida entre os Estados-membros. A Dinamarca ficou em segundo (34%) e a Suécia em terceiro (31%).

Em ambos os relatórios, o Eurostat destaca que, com a maior parte das empresas e lojas de rua fechadas e o grande número de pessoas sujeitas a isolamento social, é provável que os valores de crescimento do ecommerce aumentem ao longo de 2020.

codefive